Nossos relacionamentos, querendo ou não, são o núcleo dos conflitos e das oportunidades que enfrentamos na vida. O que importa então é (re)aprendermos com cada relacionamento, porque cada relacionamento traz consigo uma pedrinha no “calcanhar de Aquiles”, mas também traz a pérola de ensinamento. A questão é: Estamos dispostos a lidar com os conflitos? Estamos abertos para essas pérolas que estão diante de nós?

As dores em um relacionamento podem ser o sinal de que algo ali precisa ser trabalhado. Uma boa analogia que podemos fazer é imaginar pedras caindo no alto de uma montanha: à medida que elas descem, o atrito causado pelo impacto com a montanha vai diminuindo suas arestas, mudando seu formato, ao chegar na base da montanha a pedra não será mais a mesma que saiu do topo.

Assim somos nós dentro dos relacionamentos. O grande aprendizado é polir as nossas arestas, administrar os conflitos que surgirem. É sermos capazes de nos ver no outro e de o outro também se ver em nós, para que juntos possamos fazer do relacionamento uma grande experiência de crescimento.

Ótimo! Então, que pequenas ações podemos tomar quando estamos sob um grande conflito em nossas relações?

1 – PEQUENAS AÇÕES/ATITUDES DIMINUEM A PRESSÃO

Muitas vezes, experimentamos os relacionamentos como se estivéssemos dentro de uma panela de pressão, nos sentimos confinados, com a pressão só aumentando. Há uma grande agitação, não há vazamento para aquilo, nos sentimos sufocados, Se tem muita pressão quer dizer que tem muita coisa acontecendo e acabamos não conseguindo assimilar e nem tomar nenhuma decisão, não nos envolvemos.

Quando conseguimos ter uma ação, por mais simples que seja, essa pressão começa a se dissolver. Isso não é resolver a questão de imediato, mas iniciar uma pequena ação nos ajuda a ganhar mais clareza. É como despressurizar.

Se garantimos uma ação, um espaço de respiro, uma pausa rapidamente ganhamos distância um pouco maior sobre aquilo e aquela pressão toda começa a reduzir.

Quando tiver uma conversa difícil com alguém, ao invés de simplesmente reagir e dizer tudo que vem à mente, uma boa atitude é dizer : Olha eu não vou poder te responder agora, eu vou continuar essa conversa depois com você.

E que fique bem claro, não é para fugir da conversa, mas se dar um tempo para despressurizar, se permitir distanciar do conflito para ter clareza.

Uma forma de fazer isso é ter uma outra ação como por exemplo, ver um filme, fazer uma caminhada, lavar a louça, meditar, fazer algumas respirações de forma mais consciente e depois então, dar uma resposta mais adequada.

Desta forma conseguimos estar mais inteiros e mais relaxados para retornar para aquela conversa com o intuito não de se defender, não de reagir e não de ter razão, mas de construir algo, de compreender melhor, de ganhar clareza, de encontrar um ponto em comum.

2 – PERMITIR-SE PEQUENAS PAUSAS DURANTE O DIA.

Podemos observar em nosso próprio corpo como é importante sermos capazes de dar um tempo nas situações que vivemos.

Todo nosso corpo passa por um tempo de processamento. Por exemplo, cada alimento que ingerimos leva um tempo para ser transformado em energia e nutrição e ser eliminado aquilo que não é mais útil para o corpo.

Para que então, temos essa necessidade de resolver rapidamente nossos empates se internamente precisamos de tempo para processar?

É muito importante estarmos atentos. A agitação nos encontra em qualquer lugar que tivermos, dentro ou fora de casa. O que podemos fazer é garantir sempre um pequeno espaço de pausa, tirar aquela ideia de que a pausa é quando entrar de férias, a pausa é no final de semana, a pausa é quando estou quase indo dormir e ganhar pequenos espaços de pausa entre uma atividade e outra ou durante uma atividade quando a focamos ficamos muito presente.

3- PRESTAR ATENÇÃO AOS SINAIS DO SEU CORPO.

Prestar a atenção aos sinais do corpo também pode ajudar a lidar com a pressão das situações. Se for capaz de a qualquer momento levar à atenção para o corpo, pode ser para sua postura, pode ser para respiração, pode ser o volume da sua voz, ele te mostrará que é a hora de você tirar o pé do acelerador, despressurizar.

Quando ficamos atentos aos sinais do corpo isso nos enraíza no aqui e agora. Se estiver gritando, eu vou me perceber gritando, se estiver inquieto, agitado eu vou me perceber de imediato e uma vez que me percebi eu posso moldar, eu posso desacelerar, deixar de gritar e conversar em um volume natural, eu posso fazer esse ajuste e esse ajuste é também uma via de acesso para equilibrar aquela aquela comunicação

4 –ESTAR CIENTE DE QUAL O SEU PROPÓSITO NO RELACIONAMENTO E QUAL É O PROPÓSITO DO RELACIONAMENTO.

Em um grupo de trabalho, em uma relação marido e mulher, marido e marido, mulher e mulher, filho e mãe, qual seu propósito de estar ali com aquela pessoa ou pessoas?

Ter isso claro pode te ajudar a lidar com os conflitos do dia a dia.

Estímulo à massa cinzenta do cérebro – Mastak Subbhaee

A prática que indicamos aqui é para criarmos um estímulo na região do nosso cérebro chamado lobo frontal, que é a região mais nobre e mais recente do cérebro humano. Ela é capaz de perceber a realidade, de compreender a realidade dentro de uma ideia de tempo, dentro de um planejamento relacionar as coisas e dar uma resposta. É uma área da nossa inteligência aplicada.

É diferente daquele padrão reativo reptiliano, daquele impulso instintivo , daquela resposta animal. Iremos estimular a nossa área mais desenvolvida onde mora a intuição e onde aloja a nossa consciência . É uma área super Nobre, e é muito importante trabalha-la quando estamos sob pressão.

Porque quando estamos sob pressão é difícil a gente perceber além, é difícil a gente ir além daquilo que a gente tá sentindo. Se estamos sentindo raiva, eu fico só acreditando que tudo é raiva, porque é raiva que estou experimentando .Agora, se a temos um estímulo para o lobo frontal conseguimos perceber que estamos sentindo raiva, somos capazes de nos questionar de onde está raiva está vindo e perceber como estou reagindo.

Essa prática movimenta e estimula a nossa massa cinzenta do cérebro e é responsável por gerar uma informação para os nossos sentidos visão, olfato, tato, audição e também é o nosso processamento de informação. Se nosso corpo fosse um computador o processador seria essa estrutura, a massa cinzenta, onde processamos a realidade

Mantenha sua coluna alinhada pode se assentar em uma cadeira ou no chão como quiser. Procure manter os ombros relaxados.

Agora, você vai subir e descer as sobrancelhas. Procure não fazer nenhum movimento com os outros músculos do seu rosto. Faça por alguns minutos. Feche seus olhos. Suba e desça suas sobrancelhas, rapidamente.

Você pode fazer em casa por até 9 minutos.

Nesse momento de grande pressão externa, talvez experimentar reaprender a cuidar de si, reaprender a sair da pressão e ter cuidado pelo outro pode ser um grande desafio e ao mesmo tempo um grande aprendizado para essa nova forma de se relacionar.

Até porque, nós estamos nisso juntos,

estamos aprendendo a lidar com isso juntos

e nós só vamos atravessar isso juntos.

Sat Nam.

Open chat
Olá!
Podemos te ajudar?