Desde 1990, SSS Yogi Bhajan alertou sobre um fenômeno que a humanidade enfrentaria, na transição da Era de Peixes para a Era de Aquário, em que estamos, até 2038. Esse seria o nosso maior desafio.
Estamos presenciando o impacto de diversas mudanças, e sabemos que nunca a humanidade teve de assimilar tantas transformações em tão curto espaço de tempo. Desde as mudanças climáticas às relações sociais, desde a política à religião, o ser humano têm desenvolvido diversos comportamentos na tentativa de se adaptar aos tempos atuais para suportar o volume de informações a que somos expostos, que emerge de toda parte, em meio a uma sociedade em velado caos. Yogi Bhajan cunhou o termo “cérebro congestionado”, para se referir ao impacto desses excessos em nossa psique. A demanda externa se torna maior que a demanda interna, de modo que pessoa começa a gastar todas as suas reservas de vitalidade.
Diante da pressão das circunstâncias, o sujeito começa a negociar sua identidade, frequentemente lançando mão de seus valores éticos para a supressão do sofrimento. A depressão fria afeta a vitalidade do espírito e nos leva a assumir como padrão a autosabotagem. Esse tipo de adoecimento, também descrito por Yogi Bhajan como “silêncio da alma”, é caracterizado por:
• Amortecimento das emoções, insensibilidade sobre si mesmo;
• A pessoa está em constante ocupação, realizando atividades e criando emergências;
• Abuso de substâncias nocivas;
• Raiva interna, que leva ao isolamento;
• Profundo senso de solidão;
• Ansiedade extrema: preocupação excessiva com o futuro, e falta de confiança;
• Impaciência, reatividade e jogos de drama emocional;
• Perda de significado e propósito de vida.
O que torna mais silencioso o quadro da pessoa com Depressão Fria é que – além de não precisar, necessariamente, estar em um tratamento específico ou ser medicada, ela não deixa de cumprir com suas atividades normais, seja no trabalho, estudos, ou relação afetiva. A questão é que ela acorda por acordar, come por comer, trabalha por trabalhar, vive por viver.
MEDITAÇÃO PARA LIBERTAR-SE DA DEPRESSÃO FRIA
Postura: sente-se em pose fácil com uma coluna reta. Entrelace os dedos e pressione-os contra a mão oposta. Os indicadores estão retos acima, pressionados um contra o outro. Os polegares cruzam-se confortavelmente. As mãos são mantidas ao nível do tórax.
Foco: os olhos estão abertos, focado na ponta do nariz.
Mantra: Entoe “Wahe Guru Wahe Jio” * a partir do ponto de umbigo, criando este foco mental:
Ao entoar WHA: foque no ponto do umbigo;
HEY: foco no peito;
GURU: foco nos lábios.
Mantenha a sequência e ritmo para Wahe Jio.
Tempo: continue por 3 minutos construindo até 31 minutos.
Para Finalizar: Inspire e segure. Ouça o som do mantra. Expire.
Inspire, segure e devolva toda a depressão fria a Deus. Expire.
Inspire, segure e então sinta a preciosidade da vida. Deixe passar pela sua expiração. Relaxe.
* Versão do mantra disponível para áudio abaixo, do CD de Raga Sadhana por Sangeet Kaur:

Com Amor e Orações,

Harsev Kaur & Prem Bhagat Singh

Open chat
Olá!
Podemos te ajudar?